tu,

Por muita força que faça a caneta não corre, os pensamentos amontoam-se sem sentido e nada se aproveita. Sinto uma necessidade de escrever, de explicar o que me vai na alma, de deitar tudo cá para fora. Não consigo. O coração pesa cada vez mais e eu não encontro maneira de o esvaziar um pouco. Odeio quando isto me acontece. Tenho tanto para dizer e não consigo dizer nada. Estes bloqueios dão-me cá uma neura, céus. Apetece-me falar de ti até me doer a voz, quero salientar todos os teus detalhes, explicar ao Mundo como tu és. As saudades, os teus beijos, os sorrisos, os abraços. A felicidade no seu estado mais puro. Mas não consigo expressar nada. Bem diz Lobo Antunes que escrever é um processo complicado, que é preciso esperar até que venha a inspiração que, com alguma sorte, enche páginas sem fim para depois ter de limar tudo, acertar tudo, corrigir tudo até se obter uma simples frase perfeita. E esperar de novo. Ninguém disse que era fácil. Mas também ninguém disse que iria ser assim tão difícil. Custa, é certo, mas só assim consigo aliviar este pobre coração cansado. E enquanto espero sempre vou pensando em ti. Sempre acalmas esta minha alma. Aliás, veio-me agora à cabeça uma frase tua que me faz sorrir só porque sim.
- O que interessa é que estou contigo e o resto são papas de serrabulho.


P.S. A propósito , completa-se hoje um ano de palavras aqui , na terra do nunca .

14 comentários:

  1. Por vezes, também tenho fases em quero dizer tudo mas não escrevo nada.
    E parabéns pelo ano no (neverland), espero que continue (:

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Adorei. Neste pequeno texto expressa o que sinto muitas vezes quando quero "botar" para fora o que sinto, o que penso, o que me atormenta, e o que mais me acalma mas por falta de algo... talvez inspiração... não consigo escrever nem uma linha ... :P
    Foi original da tua parte teres aproveitado esta situação que descreves para fazer um texto :P...
    Como uma vez ouvi, "Quando nao há uma solução, aproveita-te do problema"...

    BEIJOS :)

    ResponderEliminar
  5. estas a ver? eu nao disse que ia sair bem?
    devias ouvir-me mais vezes =)
    espero que este bloqueio passe para ti e para mim.
    beijos =)

    ResponderEliminar
  6. Fico feliz por saber :)

    E porquê que tu pensas em esquecer? Não esqueças, apagues ou renegues algo que já foi vosso.
    Respira fundo, e pensa que o enorme pedaço que ele tem teu, tu também guardas um dele. Estarão sempre ligados, independentemente do que façam. A terunura fica sempre entre esse ciclo

    Beijinhos na testa :), tem calma com isso *

    ResponderEliminar
  7. Nao te assustes. O não conseguires escrever é prefeitamente normal. Quando comecei com o blog escrevia todos os dias mas, à medida que fui crescendo tornei-me mais exigente e a minha inspiração também. Um conselho: não pressiones, não te enerves, deixa correr que vais ver que, à coisa mais mínima, um amontoado de frases bem ligadas te surge. Comigo funciona :) Não adianta nada forçar.

    Beijinho e parabéns pelo ano de existência ;)

    ResponderEliminar
  8. Tu sabes .
    Parabens Inês , adoro-te .

    ResponderEliminar
  9. Inês, nenê, não acredito. Acabaste? Oh, e ele disse o quê quando lhe deste a bonequinha?
    A minha ervilha vai desaparecer, nem que eu tenha que pegar nela, chegar ao pé dele e dizer-lhe 'olha, fica com ela. O verde é a tua cor favorita. E agora vens comigo.', pego-lhe por um braço e levo-o comigo.
    Esse teu texto, wow. (Lobo Antunes? Gostas dele?)
    Gostei tanto como descreves a incapacidade, aliás, o bloqueeio de não escrever.
    E rematas com uma frase dele tão... Pertinente.
    O que é que eu posso dizer?
    Já sei!
    Parabéns (atrasados) à neverland, que eu tanto gosto e que tu tanto orgulho sentes.

    ResponderEliminar